terça-feira, junho 06, 2006

Casinhas de bonecas






Depois das praias paradísiacas cortámos caminho em direcção ao interior. A mesma falta de percursos traçados, a mesma necessidade de olhar o sol e pedir-lhe para nos orientar. Um imenso deserto e algumas referências (poucas) para chegar às aldeias do norte, que conheciamos de passagens fugazes noutras viagens de trabalho.
Não foi dificil dar com elas, depois de alguns quilómetros e muitos solavancos.. cerca de 45 minutos para termos a sensação de entrar num território de contos infantis.
Tudo é colorido, tudo é ordenado... O contraste é radical face ao cinzento a que estamos habituados na Cidade da Praia . Quase impensável.
Fundo de Figueira, João Galego e tantos outros pequenos lugares encantandores que nos transportam para o imaginário daquelas estórias de adormecer.
Demorámo-nos por ali algum tempo a contemplar a "arquitectura", a disparar a máquina digital em todas as direcções e a apreciar o silêncio apenas cortado pelo entusiasmo de algumas crianças que descobriam a presença de dois forasteiros no meio deste território encantado.

4 comentários:

Significante disse...

Vá, chibem-se. Vocês não fotografaram nada...Isto é tudo sacado na net.
As fotografias estão o máximo:)
Beijinhos para vocês.Ivone

MarioG disse...

Obrigado pela visita ao meu blog e pela recomendação. Sinto-me lisongeado!!!
Cabo Verde também já foi um dos meus destinos. Um dia destes vou publicá-lo também. A Tunisia já publiquei. Pelos vistos andámos pelos mesmos sitios.
Abraço
Mário

Eleonaí disse...

Hola Soraia:

Gracias por tu visita y comentario en mi blog Viajando.

Este tuyo me gusta. Recordé la narrativa de Jorge Amado. Solo conozco Brasil por lo que he leído escrito por él y otros autores. 0 ¿es Portugal?

Ilidio Soares disse...

Para um reconfesso admirador das viagens, visitar o seu blog é mais que um convite, é uma exigência. rs. As fotos, o texto, e essa peculiar e adorável mania que temos, nós os viajantes, em detalhar os eventos. Adorei, viu? Certamente me terás aqui como passageiro.
bjos
Ilidio