terça-feira, junho 27, 2006

BRAVA é o seu nome.






Apenas de barco se chega à mais pequena das ilhas do arquipelago de Cabo Verde. Em tempos ouve um pequeno aeroporto. Só com 7ooo habitantes, pouco ou nada faz jus ao seu nome. As suas gentes caracterizam-se com rostos afáveis e de diálogo facil com os forasteiros.
Nesta ilha de pequenas localidades, destaca-se a vila de Nova Sintra, geograficamente muito semelhante à nossa tão conhecida vila portuguesa que lhe deu nome. Bonitos sobrados do principio do século XX, pequenas casas de rés-do-chão caiadas de branco e muitas flores coloridas, que dão fama à Brava como sendo precisamente a Ilha das Flores.
Aqui o tempo passa devagar, espera-se o barco que vem do Fogo ou da Praia trazendo os familiares que labutam no outro hemisfério-nas americas, na sua maioria-, e tudo o que aqui faz falta: fruta, legumes, televisores, dvd's, mas enfim, com o pouco que têm são felizes.
Por entre um copito de grogue e uma de tocatina de violão e rebeca ao som das mornas de Eugénio Tavares, os bravenses vão continuando orgulhosos do seu espaço e da sua terra.